Anais do I Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 1, nº 1. João Pessoa, PB: UFAL, 2012.

A midiatização do social no rádio: das estratégias discursivas do ator à estruturação de uma rede

Maicon Elias Kroth
UNISINOS/UNIFRA

 

Examina-se modalidade de midiatização do social, através de estratégias que envolvem programa radiofônico e ouvintes, segundo pesquisa (Tese de doutorado defendida em maio de 2012 no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação – PPGCC da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS – RS) na qual se descreve as operações discursivas e enunciativas em torno das quais se organizam as interações entre o programa e seus “ouvintes- assistidos”. A análise das estratégias mostra como o trabalho técnico discursivo organizado e regulado pelo dispositivo radiofônico instituí e propõe controle do funcionamento de uma atividade social, estruturado em torno de uma rede que envolve lógicas de diferentes campos sociais: previdência, contábil, jurídico, religioso, assistencial, serviços, etc. Nesta estratégia os ouvintes não são apenas receptores, no sentido convencional, mas atores transformados em militantes cujas práticas de irradiação desta estratégia se manifesta pela especificidade da atividade radiofônica. A análise dos textos que envolvem produção e recepção radiofônica, convertida em rede, além de destacar a estruturação de um dispositivo de midiatização do social a partir de operações que envolvem a performance do sujeito e de suas interações com as lógicas radiofônica, política e do assistencialismo social, chama atenção para o papel que tem a prática radiofônica no processo de constituição de novas formas de organização social. Neste sentido, entende-se que a pesquisa articula-se com o tema do colóquio, quando se analisa a performance do ator - suas estratégias discursivas - como um das principais operações, dentre outras, utilizadas por ele para dar sentidos às mensagens que circulam na semiose radiofônica que põe em operação. Ao agenciar operações midiáticas, o ator (João Carlos Maciel) usa de sua performance específica para dinamizar práticas interacionais que dão vida a um dispositivo radiofônico complexo. Como efeito desta dinamização, constitui uma rede de sujeitos que vão se agregando ao dispositivo radiofônico, através de diversos pontos de contato, com o objetivo de engajá-los à manutenção de uma proposta de projeto assistencialista.

 

Texto completo: PDF

 

 

>