Anais do I Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 1, nº 1. João Pessoa, PB: UFAL, 2012.

Pensando Comunicação e Cidadania pelo viés da Análise do Discurso

Giovandro Ferreira
UFBA

 

Desde 2008, no interior do CCDC – Centro de Comunicação, Democracia e Cidadania, um grupo de pesquisadores da Faculdade de Comunicação da UFBA – Universidade Federal da Bahia - tem se dedicado a pesquisa de violação dos Direitos Humanos em programas de telejornalismo e de jornais impressos do Estado da Bahia. Tal pesquisa tem, de um lado, o objetivo fornecer dados e evidências ao Ministério Público sobre tais violações, esperando (e pressionando) que essa instância pública adote medidas, como, por exemplo, o TAC – Termo de Ajuste de Conduta e, de outro lado, busca-se também, com o resultado da pesquisa, realizar um trabalho de mobilização junto às lideranças dos movimentos sociais.A partir deste universo de atividades do CCDC, nossa apresentação irá se concentrar nas opções metodológicas adotadas, ao longo desses últimos 5 anos, no interior das pesquisas de telejonais e de jornais impressos. Haverá uma preocupação de se pensar a Cidadania e Comunicação pela Análise do Discurso, mas também, uma outra preocupação, de se repensar aspectos da Análise do Discurso a partir da articulação Comunicação e Cidadania. O nosso trabalho parte do pressuposto que se pode obter opções consistentes, no âmbito das abordagens oferecidas pelo mercado teórico-metodológico do domínio da Análise do discurso, fazendo avançar a edificação da cidadania pela comunicação, na tensão dada ao conceito de enunciação além do material verbal e sem recorrer ao conceito arrastão de ideologia. Os estudos buscam posicionar as tramas da enunciação a partir de objetos bem diferentes desses edificados pelos lingüistas, cujos funcionamentos discursivos socialmente pertinentes, vão atravessar a matéria lingüística, indiferentes as fronteiras de sintaxe, semântica e pragmática. O acompanhamento analítico do desenvolvimento do conceito de dispositivo de enunciação nos estudos de comunicação (no seu bojo o surgimento do conceito de circulação) pode possibilitar uma análise bem apurada de cobertura jornalística sobre a violação dos direitos humanos.Em contra partida, ressalta os limites de estudos do discurso orientados pela ilusão de um “além da frase”, um desdobramento do objeto dos linguistas monopolizado pelo material verbal do discurso, que no contexto contemporâneo, aparenta fornecer um forte vetor na edificação de uma certa Análise Crítica do Discurso – ACD – que, de um lado, demonstra uma certa “irreverência política” e, de outro, um conservadorismo ou acomodação metodológica.Nosso trabalho terá, então, como base a apresentação dos relatórios de pesquisa do CCDC, de 2012 e 2010, sendo ela norteada pela preocupação em justificar as opções metodológicas adotadas pelas atividades de pesquisa que têm como mote o monitoramento e a mobiliza.