Anais do I Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 1, nº 1. João Pessoa, PB: UFAL, 2012.

O Brasil no videoclipe através dos estudos semióticos

Guilherme Bryan
Centro Universitário Belas Artes – São Paulo/SP

 

Esse trabalho tem como objetivo demonstrar como o videoclipe mostra-se como sendo ótima ferramenta para a representação simbólica do Brasil. Para tal, serão observados o considerado primeiro videoclipe do país – “América do Sul”, dirigido por Nilton Travesso, para Ney Matogrosso, em 1975; e “Garota de Ipanema”, dirigido pelo britânico Jon Klein, para Marina Lima, em 1990, para inaugurar a MTV Brasil. O problema dessa pesquisa gira em torno das diferentes representações de Brasil que se faz no videoclipe brasileiro, em seu surgimento e no momento da instalação da MTV no país. Em “América do Sul”, Ney Matogrosso é uma figura andrógena, meio homem, meio pássaro, num país inabitado; e em “Garota de Ipanema”, Marina Lima esbanja a sensualidade da mulher brasileira, e aponta uma arma imaginária para o espectador, em meio a símbolos como a nota com o desenho de um índio; a joaninha, representando nossa flora, e o “Abaporu”, de Tarsila do Amaral. Esse trabalho é originado da Dissertação de Mestrado em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), e da Tese de Doutoramento em Meios e Processos Audiovisuais, pela mesma ECA-USP. Porém, ele mantém o ineditismo para esse colóquio, uma vez que os videoclipes aqui selecionados serão analisados com maior profundidade.Entende-se que o campo teórico da Semiótica é o mais apropriado para a observação da maneira como os dois videoclipes – “América do Sul” e “Garota de Ipanema” – buscaram representar o Brasil, estando o primeiro mais atrelado ao momento pré-Descobrimento; e o segundo relacionado com elementos da Modernidade brasileira e da contemporaneidade internacional. Desse modo, são utilizados como base teórica trabalhos de Umberto Eco e Arlindo Machado.