Anais do I Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 1, nº 1. João Pessoa, PB: UFAL, 2012.

Midiatização e as incursões do telespectador como produtor de conteúdo

Daniel Pedroso
UNISINOS

 

O presente texto apresenta os movimentos iniciais de uma tese de doutoramento em Comunicação. Parte-se do conceito de midiatização como pressuposto fundamental para o entendimento dos movimentos dos meios de comunicação na contemporaneidade. Hoje vivemos numa transição entre uma “sociedade dos meios” para uma “sociedade em vias de midiatização”, esse processo é marcado por um conjunto de fenômenos sociais e tecnológicos. Como características deste fenômeno aponta-se (1) a tecnologia convertida em meios atuando no complexo contexto de convergência midiática; (2) o mercado discursivo que se estabelece entre as instituições, os meios de comunicação e os atores sociais, cujas produções discursivas se afetam mutuamente; (3) a nova arquitetura comunicacional e as zonas de interpenetração que reconfiguram o sistema midiático a partir da inserção da produção de conteúdo de atores sociais extramidiáticos sinalizando o enfraquecimento do papel da mediação. A pesquisa pretende analisar as estratégias de midiatização das incursões do telespectador/usuário como produtor de conteúdo audiovisual, buscando entender como a potencialidade do receptor, a partir das suas condições de produção, é convertida em realidade discursiva pela mídia e, de que forma, este movimento gera uma nova gramática de produção no sistema midiático audiovisual. A partir deste objetivo geral traçamos três objetivos específicos: a) estudar as lógicas que articulam os discursos que envolvem as relações do receptor com a instância da produção; b) compreender os novos processos comunicacionais que operam nos espaços midiáticos nos quais se enunciam essas novas condições de produção; c) examinar as novas relações entre produção e recepção no âmbito desta nova ambiência interacional. A pesquisa desenvolve-se sobre a plataforma das Organizações Globo, com recorte na TV Globo e no portal Globo.com. Observam-se as incursões do telespectador/usuário e sua produção de conteúdo a partir da relação convergente TV/Internet. Os observáveis são: a revista eletrônica Fantástico e a promoção A empregada mais cheia de charme do Brasil; o programa esportivo Esporte Espetacular e a promoção Profetas do Brasileirão; e o telejornal Bom Dia Brasil e a série de reportagens sobre Transporte Público.