Anais do III Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 3, nº 1. Japaratinga, AL: UFAL, 2014.

A presença indígena no telejornalismo paraense

Arcângela Sena
Universidade Federal do Pará - /UFPA

 

Resumo

A relação entre sociedade e mídia está densamente imbricada no contexto contemporâneo. Uma relação que passa por transformações tecnológicas e de processos comunicacionais que atingem diretamente as identidades dos grupos sociais. Hoje, os discursos que circulam nos espaços abertos pelas atuais tecnologias convivem com as novas e tradicionais formas de produzir sentidos. As sociedades amazônicas são parte integrante deste cenário, inseridas nessa globalização. Pretendemos discutir a mídia televisão e a identidade da população indígena que vive no Pará, a partir da compreensão dos estereótipos refutados ou reforçados no telejornalismo local, fundamentados pelas formulações de Michel Foucault sobre saber e poder, tomando como base o processo de produção da notícia. A temática indígena disputa espaço nas pautas diárias com outras pautas de interesse social e, portanto, dos produtores do telejornalismo. A mídia representa uma nova fronteira para grande parte dos povos indígenas. Os meios de comunicação atualizam uma memória sobre estas sociedades; a nudez ainda é retomada como marca identitária, mas trazem a questão da selvageria com uma nova moldura, pois, na maioria das vezes inventa um índio limitado aos conflitos de terra, que pouco tem a contribuir com a sociedade brasileira.

 

Abstract

The relationship between society and media is heavily intertwined in the contemporary context. A relationship that involves technological change and communication processes that directly affect the identities of social groups. Today, the discourses that circulate in the open spaces by current technologies coexist with new and traditional ways of producing meanings. Amazonian societies are an integral part of this scenario, embedded in this globalization. We intend to discuss the television media and the identity of the indigenous population living in Pará, from the understanding of reinforced or refuted on the local TV news stereotypes, founded by Michel Foucault's formulations of knowledge and power, based on the process of news production. The indigenous issues in daily agendas compete for space with other patterns of social interest and therefore the producers of television journalism .The media is a new frontier for most people indígenas.Os media update a memory about these companies; nudity is still taken up as brand identity but bring the issue of savagery with a new frame, for the most part limited to devises a land conflict that has little to contribute to the Brazilian Indian society.

 

Texto completo: PDF