Anais do III Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 3, nº 1. Japaratinga, AL: UFAL, 2014.

O papel do não dito na significação da realidade social: reflexões sobre a violência na Copa

Kamila Bossato Fernandes e Rafael Rodrigues da Costa
Universidade Federal do Ceará - UFCE

 

Resumo

Em uma sociedade midiatizada, urge compreender os sentidos construídos pelos meios de comunicação, uma vez que eles permeiam e são permeados por interesses nem sempre benéficos à coletividade (FAUSTO NETO, 2008). Durante a Copa do Mundo no Brasil, entre junho e julho de 2014, uma sensação de segurança foi percebida tanto por turistas que visitavam as cidades-sede dos jogos, como pelos moradores dessas localidades (CANTANHEDE, 2014, REMIGIO, 2014). Contudo, ao se deparar com dados da segurança pública, constatou-se que, no período da competição, os números da violência não melhoraram. Em Fortaleza, a quantidade de homicídios aumentou no primeiro semestre de 2014 em relação ao mesmo período de 2013. Em vista de tal disparidade, propomos neste artigo refletir sobre as implicações do que é dito e do que não é dito nos meios de comunicação. Para tanto, verificamos a incidência do tema violência urbana nos telejornais da TV Verdes Mares, de Fortaleza (CE), a partir de uma comparação entre o que foi exibido em uma semana da Copa do Mundo (de 30/6 a 4/7) e um período anterior ao evento (de 19 a 23/5). Apoiamo-nos em pressupostos acerca da produção social da realidade pelos media, como a noção de valor-notícia (GOMIS, 2002) e fontes jornalísticas (GOMIS, 2004). O tom (DUARTE, 2007, 2008) assumido por tais produções também é investigado. Foi possível constatar uma inversão dos valores-notícia estabelecidos pelo telejornalismo produzido na emissora, a qual induz a uma percepção positiva da realidade de modo a favorecer o evento esportivo. Palavras

 

Abstract

In a mediatizated society, it is necessary to understand the meanings produced by the media institutions, as they influence and are influenced by interests not always beneficial to the society. During the FIFA World Cup in Brazil, between June and July 2014, a feeling of security was perceived by tourists visiting the cities hosting the games, as well as the residents of these places (CANTANHEDE, 2014, REMÍGIO, 2014). However, when faced with public security data, it was found that in the period of the competition, the statistics of urban violence did not decrease. In fact, in Fortaleza, the number of homicides increased in the first half of 2014 compared to the same period of 2013. Considering this disparity, we propose in this article to reflect on the implications of what is said and what is not said in the media. To do so, we investigated the incidence of urban violence theme in newscasts from TV Verdes Mares, of Fortaleza (Ceará). We did a comparison between what was displayed in one week of the World Cup (from June 30th to July 4th) and a pre-event period (May 19th to May 23th). We rely on assumptions about the social production of reality by the media, as the notion of news-value (GOMIS, 2002) and journalistic sources (GOMIS, 2004). The tone (DUARTE, 2007, 2008) settled by such productions is also investigated. As results, we found that there has been an inversion of news values set by the broadcaster, which induces a positive perception of reality in order to promote the sporting event. Keywords

 

Texto completo: PDF