Anais do III Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 3, nº 1. Japaratinga, AL: UFAL, 2014.

A midiatização de uma campanha social: uma aproximação ao caso “Eu não mereço ser estuprada”

Marlon Santa Maria Dias e Viviane Borelli
Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

 

Resumo

Propõe-se neste artigo uma reflexão sobre o conceito de midiatização, bem como sobre o modo como uma campanha social se midiatiza. Num primeiro momento, refletimos sobre a passagem dessa sociedade dos meios para uma sociedade em vias de midiatização, a fim de compreender a relação das mídias com as mudanças que se instauram na contemporaneidade. Em seguida, discutimos sobre o conceito de midiatização, considerado central para a compreensão dos atuais fenômenos midiáticos. Por fim, discutimos sobre algumas observações da campanha “Eu não mereço ser estuprada”, cuja emergência se deu nas redes sociais digitais. Este trabalho é um recorte de uma dissertação em andamento e reúne alguns apontamentos que serviram de base para o início da pesquisa.

 

Abstract

We propose in this article a reflection about the concept of mediatization, as well as how a social campaign mediatizate itself. At first, we reflect of this passage from the society of means to a society in process of mediatization, in order to understand the relationship with the changes that are established nowadays. Then, we discuss the concept of mediatization, considered central to understand the current media phenomena. At last, we present some observations about the campaign “Eu não mereço ser estuprada” (I don’t deserve to be raped)whose emergency occurred in digital social networks. This paper is an outline of a dissertation in progress and meets some notes that formed the basis for the beginning of the research.

 

Texto completo: PDF