Anais do III Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 3, nº 1. Japaratinga, AL: UFAL, 2014.

‘Intervozes midiáticas’ em plataformas digitais: os modelos e estratégias em suas lógicas

Marcos Reche Ávila
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS

 

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de estudar características de novos mediadores em suportes digitais que atuaram na conjuntura das manifestações de junho de 2013. São “vozes” na mediação midiática, muitas delas não institucionais, mas trabalham com informações e acontecimentos assim como as instituições do campo jornalístico. Consideramos estes mediadores „intervozes midiáticas‟, segundo uma definição ainda que provisória. Como principal objetivo do estudo, visa-se a apresentação de seus modelos e estratégias comunicacionais. Examinamos esta questão a partir de um corpus de registros que contêm marcas do trabalho de 24 mediadores, os quais veicularam informações em diferentes plataformas digitais: sites, blogs e redes sociais. O referido corpus nos permitiu analisar marcas das suas identidades, características e funcionamentos, além dos usos destas plataformas, chamando a atenção as singularidades de cada um dos mediadores, em seus modelos e estratégias. Também demos atenção às lógicas de mediação dentro das redes sociais, dado o alcance de algumas delas a relevante parte da população que utiliza a internet. Elegemos, então, o Facebook como referência, pois nos possibilita uma ilustração de relações entre os emissores das mensagens, os receptores, a circulação e as releituras das informações2. As curtidas, compartilhamentos e comentários nas postagens nos permitem levantar alguns indícios destas relações e, a partir deles, da circulação e apreciação das informações. Apontamos ao longo do texto manifestações de „intervozes‟, onde podemos visualizar algumas destas ações e de suas estratégias.

 

Abstract

This study aims to analyze characteristics of new mediators in digital media who acted in the conjuncture of the June, 2013 demonstrations. They are "voices" in the media mediation, many of them are non-institutional, and however they deal with information and events as well as the institutions of the field journalistic. We consider these mediators 'media intervoices', according to a definition however provisional. The main goal of the study presents their models and communication strategies. We examine this issue from a range of records that contains work marks 24 mediators that broadcasted information in different digital platforms: websites, blogs and social networks. Such records allowed us to analyze traces of their identities, characteristics and runs in addition to the uses of these platforms, highlighting the uniqueness of each one of the mediators in their models and strategies. We have also focused on the logic of mediation within social networks, given the scope of some of the relevant part of the population that uses the internet. We chose, then, Facebook for reference, since it allows us an illustration of the relationships among the message transmitters, receivers, circulation and re-readings of the information. The likes, shares and comments on posts allow us to raise some evidence of these relationships and, from them, circulation and assessment of the information. As an illustration, we present some examples throughout the text, where one can see some of these actions and its strategies.

 

Texto completo: PDF