Anais do III Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 3, nº 1. Japaratinga, AL: UFAL, 2014.

“Sucesso” da saúde privada!? Sentidos que atualizam o passado interferem na relação da população com o sistema de saúde público

Wilson Couto Borges
Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ

 

Resumo

Partindo da premissa de que os meios de comunicação de massa têm sido responsáveis pela difusão, em larga escala e com alcance inimaginável, de informações que têm interferido na vida de pessoas, de grupos e da própria sociedade, com esta comunicação queremos problematizar a produção midiática em torno do tema saúde com o propósito de fomentar novas contribuições que foquem, dentre outros aspectos, no papel desempenhado pelos media no tocante às construções noticiosas cotidianamente oferecidas à população. Entretanto, equivocada e inadvertidamente, boa parte das reflexões produzidas sobre a mídia a toma como uma agência que aliena os atores sociais – tirando deles a capacidade crítica. Nestes termos, nossa pesquisa se desenvolve na direção de problematizar a atuação da mídia, tomando-a como um agente político que interfere decisivamente no debate público. Nossa principal hipótese é que, no processo de conexão entre tais composições narrativas e o imaginário social brasileiro, há um diálogo tenso e intenso entre passado e presente, com a evocação de cadeias de significados. Com esta perspectiva, partiremos do recorte em torno de debate entre saúde pública versus saúde privada, cuja ênfase neste último acaba por revelar como os sentidos hegemonicamente celebrados trazem a marca da dimensão ideológica que os ensejam.

 

Abstract

Assuming that the media have been responsible for diffusion on a large scale and with unimaginable range of information which have affected the lives of people, groups and society, itself in this communication we want to problematize the mediatic production around the theme of health in order to foster new contributions that focus on among other aspects, the role played by the media with regard to daily reports offered to the population. However, mistaken and inadvertently, much of the reflections produced about the media taking as an agency that alienates social actors - taking away their critical capacity. In these terms, our research is developed in the direction of questioning media performance, assuming it as a political agent that interferes decisively in the public debate. Our main hypothesis is that in the process of connection between such narrative compositions and the Brazilian social imaginary, there is a tense and intense dialogue between past and present, with the evocation of meanings chains. With this perspective, we leave the cutout around debate between public health versus private health, where the emphasis on the latter turns out to reveal how the hegemonic celebrated senses bear the imprint of the ideological dimension that provoke.

 

Texto completo: PDF